O Para-Raios não "atrae" os relâmpagos, mas como é o elemento mais alto de uma estrutura, quando acontece uma tempestade e uma descarga, ele capta-a e conduz toda a eletricidade através da sua instalação para o solo, evitando deste modo a sua propagação através do edifício protegendo-o, assim como os bens e as pessoas nele existentes ou na sua imediação.

A norma portuguesa 4426 (NP4426), de 2003, regula a sua instalação e inspeção. Em 2013 houve uma atualização à norma onde, por exemplo, passa a ser obrigatório a execução de duas baixadas por Para-Raios.

A norma também regula quais os edifícios ou serviços que são obrigados a estar protegidos contra descargas atmosféricas.